Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade e o uso de cookies ACEITAR
Quinta, 02 de Julho de 2020

Desnervação renal reduz pressão arterial em doentes hipertensos a três anos

Os dados recolhidos em contexto clínico habitual revelam que a maioria dos doentes com hipertensão apresentou reduções significativas aos três anos, independentemente do número de medicamentos anti-hipertensivos prescritos

A Medtronic, líder mundial em tecnologia médica, apresentou novos dados do Global SYMPLICITY Registry (GSR) a três anos, durante o PCR e-Course 2020.

Os resultados agora apresentados demonstram que a desnervação renal (RDN, sigla em inglês Renal Denervation), com o Sistema de Desnervação Renal Simplicity™ da Medtronic, reduziu significativamente a pressão arterial (PA) até três anos após o procedimento, em doentes com hipertensão não-controlada, independentemente do número de medicamentos anti-hipertensivos prescritos.

O estudo mostrou que a RDN conduziu a reduções significativas e clinicamente relevantes na PA, que foram mantidas até três anos após o procedimento (17 mmHg OSBP, pressão arterial sistólica medida em consultório), com mais doentes a alcançar uma PA inferior a 140 mmHg. Foi ainda demonstrado que os doentes com níveis de PA muito elevados reduziram a sua pressão para intervalos de menor risco. O número de doentes que registou um nível mais alto da pressão arterial – PA sistólica superior a 180 mmHg na avaliação basal – reduziu dois terços em três anos. Além disso, o número de doentes com PA sistólica inferior a 140 mmHg - um nível de PA mais controlado - aumentou de 13% na avaliação basal para 39% em 3 anos.

Esta redução dos níveis de PA ocorreu enquanto os doentes tinham indicação para a toma, em média, de quatro ou mais medicamentos anti-hipertensivos, que permaneceu inalterada até três anos. O facto de não ter sido necessário aumentar o número de medicamentos sugere que o efeito da RDN era independente da quantidade prescrita. A RDN continuou a demonstrar um forte perfil de segurança até três anos, com uma incidência de estenose da artéria renal de 0,3%, o que se enquadra no intervalo esperado para doentes com hipertensão que não foram submetidos a desnervação.

"No maior estudo realizado em contexto de prática clínica habitual em doentes submetidos a desnervação renal, observamos reduções significativas e clinicamente relevantes na pressão arterial medida em consultório e em ambulatório, que foram mantidas até três anos após o procedimento, o que demonstra a durabilidade da RDN", referiu Felix Mahfoud, cardiologista do Saarland University Medical Center, em Homburg, Alemanha, e que apresentou os dados durante a reunião. "Estes resultados reforçam que a RDN é uma opção viável e complementar com efeitos positivos em doentes hipertensos sem exigir um aumento na quantidade de medicamentos prescritos ao longo do tempo".

O Global SYMPLICITY Registry (GSR) é o maior estudo observacional sobre a segurança e a efetividade a longo prazo dos sistemas de RDN da Medtronic, em contexto de prática clínica habitual, em doentes com hipertensão não-controlada. Até ao momento, o GSR incluiu mais de 2.860 doentes submetidos a RDN e três anos de acompanhamento de mais de 2.500 doentes. Os dados apresentados no PCR espelham os resultados referidos recentemente no manuscrito do GSR, publicado no Journal of the American College of Cardiology (JACC). O artigo refere que o procedimento de desnervação renal oferece resultados clínicos duradouros numa variedade de doentes de alto risco, incluindo doentes com diabetes, doença renal crónica, hipertensão sistólica isolada ou hipertensão resistente.

"Após os resultados positivos do SPYRAL HTN-OFF MED Pivotal divulgados na reunião científica do American College of Cardiology (ACC), estes novos dados dão-nos evidências adicionais sobre a segurança e a eficácia da RDN para ajudar na gestão da hipertensão não-controlada, uma vez que os doentes do estudo registaram reduções significativas da PA até vários anos", afirmou Dave Moeller, vice-presidente da divisão de Coronary and Renal Denervation, que integra o Cardiac and Vascular Group da Medtronic. "À medida que a evidência clínica sobre a RDN vai crescendo, somos encorajados pelos resultados observados quer nos estudos clínicos controlados, quer em contexto de prática clínica habitual".

A hipertensão é o fator que individualmente mais contribui para a morte por doença cardiovascular e aumenta drasticamente o risco de enfarte, AVC, insuficiência cardíaca e insuficiência renal. Estima-se que os custos diretos anuais da hipertensão rondem os 500 mil milhões de dólares em todo o mundo. Estima-se ainda que quase 20% dos doentes não aderem por completo às terapias orais, enquanto cerca de metade não adere parcialmente à toma diária de medicação, dados que vêm destacar a necessidade de opções alternativas de tratamento.

Além do Global SYMPLICITY Registry, o programa global de estudos clínicos SPYRAL HTN inclui os estudos clínicos SPYRAL HTN PIVOTAL e SPYRAL HTN-OFF MED, ambos prospetivos, aleatorizados e controlados por simulação, que avaliam doentes com pressão arterial não-controlada, respetivamente, na ausência e presença de medicamentos anti-hipertensivos prescritos. Aprovado para uso comercial em mais de 50 países em todo o mundo, o sistema Symplicity Spyral™ é limitado para uso em investigação nos Estados Unidos.

Sobre a Medtronic

A Medtronic (www.medtronic.pt) é uma das maiores empresas globais em tecnologia, serviços e soluções médicas, que contribuem para aliviar a dor, restabelecer a saúde e prolongar a vida de milhões de pessoas, todos os anos, em todo o mundo. A nível global a Medtronic emprega mais de 88.000 pessoas, chegando a médicos, hospitais e doentes em aproximadamente 160 países. A empresa está focada numa relação colaborativa com os seus parceiros no sentido de levar os cuidados de saúde Further, Together.