Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade e o uso de cookies ACEITAR

Quarta, 03 de Junho de 2020

Sanofi apresenta portfólio de oncologia e pipeline inovador na ASCO20

  • Dados emergentes refletem o compromisso com o avanço dos cuidados oncológicos, incluindo dois compostos de investigação: um potencial best-in-class SERD oral para o cancro da mama e um anticorpo-fármaco conjugado anti-CEACAM5 first-in-class para o cancro do pulmão de não pequenas células
  • Serão apresentados dados positivos sobre o Libtayo® (cemiplimab), de um dos maiores conjuntos de dados clínicos prospetivos de sempre de inibidores PD-1 no carcinoma espinocelular avançado
  • Novos dados sobre Isatuximab e Jevtana® (cabazitaxel) em cancros difíceis de tratar reforçam a amplitude e a profundidade do portfólio

A Sanofi apresentou dados do seu portfólio e pipeline de oncologia no Programa Científico Virtual da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (ASCO), nos passados dias 29, 30 e 31 de maio. De entre os resumos encontram-se novas pesquisas que destacam a liderança e o compromisso da companhia com o cuidado de doentes com cancro da pele não-melanoma, cancro da próstata e mieloma múltiplo, e dados clínicos em fase precoce para duas terapêuticas potencialmente transformadoras para o cancro da mama e do pulmão.

"Estamos determinados a melhorar os resultados para os doentes com cancro, através do desenvolvimento de terapêuticas transformadoras, e este é um momento crucial para dar continuidade ao nosso compromisso para com a comunidade oncológica", afirma Dietmar Berger, Chefe Global de Desenvolvimento Clínico e Diretor Médico "Temos a sorte de recentemente termos dado as boas-vindas ao Dr. Peter C. Adamson para liderar a nossa equipa de Desenvolvimento de Oncologia Global, que continuará a supervisionar o nosso pipeline emergente. Estamos na vanguarda da tradução de avanços científicos para potenciais novos tratamentos no nosso pipeline, focados em resolver lacunas críticas que possam ajudar a promover os cuidados de vários cancros difíceis de tratar."

Os resultados clínicos em fase inicial apoiam abordagens inovadoras para o cancro da mama metastático e cancro do pulmão de não pequenas células avançado

"Com base nos avanços na oncologia molecular e imuno-oncologia, a nossa estratégia de portfólio e pipeline aproveita as plataformas tecnológicas de ponta para desenvolver melhores terapêuticas para pessoas com diversas patologias, incluindo cancros de pele, hematológicos, mama e pulmão", disse Peter C. Adamson, Chefe de Desenvolvimento Global, Oncologia e Inovação Pediátrica. "Estamos a liderar o percurso com a investigação do nosso SERD oral, que pode servir como potencial tratamento chave em várias linhas terapêuticas para doentes com cancro da mama ER+, e o nosso first-in-class anticorpo-fármaco conjugado anti-CEACAM5 em investigação, para doentes com cancro do pulmão ou outros tumores sólidos que expressam CECAM5. Estamos entusiasmados por partilhar dados clínicos e de prova de conceito de ambos na próxima reunião virtual ASCO20."

Nos EUA, estima-se que mais de 154.000 mulheres tenham cancro da mama metastático (CMm) [i] e aproximadamente 79% dos cancros da mama são positivos para o recetor de estrogénio (ER) [ii]. O SAR439859 é um degradador seletivo dos recetores dos estrogénios (SERD) oral, uma pequena molécula de terapêutica alvo, potencial best-in-class, que se liga aos ERs nas células do cancro da mama para inibir a sinalização de ER e desencadear a sua degradação.

  • Resumo 1070: Estudo de fase 1/2 do SAR439859, um degradador seletivo dos recetores dos estrogénios (SERD) oral, no cancro da mama metastizado (CMm) com recetor de estrogénio positivo (ER+) /recetor tipo 2 do fator de crescimento epidérmico humano negativo (HER2-) (DADOS TED14856 - Parte A e B)
  • Resumo TPS1108: Estudo de fase 2 na janela pré-operatória de SAR439859 versus letrozol em mulheres pós-menopausa com cancro da mama de novo com recetor estrogénio-positivo (ER+) /recetor tipo 2 do fator epidérmico humano negativo (HER2-)
  • Resumo TPS1107: Ensaio de fase 2 de SAR439859 vs monoterapia endócrina na pré e pós-menopausa, cancro da mama (CM) localmente avançado ou metastizado com recetor de estrogénio positivo (ER+) /recetor tipo 2 do fator de crescimento epidérmico humano negativo (HER2−), com exposição prévia a hormonoterapia.

O cancro do pulmão de não pequenas células (CPNPC) é o tipo de cancro de pulmão mais comum e é responsável por 84% de todos os diagnósticos. A CEACAM5 é uma glicoproteína de superfície celular altamente expressa em vários tipos de tumores, incluindo o CPNPC. Aproximadamente 20% dos cancros do pulmão têm uma elevada expressão de CEACAM5. Os dados do nosso[iii] first-in-class anticorpo-fármaco conjugado anti-CEACAM5 serão comunicados durante uma apresentação oral na ASCO20.

  • Resumo 9505: Eficácia e segurança do anticorpo-fármaco conjugado (ADC) SAR408701 em doentes com cancro do pulmão não pequenas células não escamosas (CPNPC não escamosas) que expressam a molécula de adesão celular carcinoembrionária 5 (CEACAM5) (apresentação oral)
  • Resumo TPS9625: Estudo clínico de fase 3 que compara o anticorpo-fármaco conjugado (ADC) SAR408701 com docetaxel em doentes com cancro do pulmão metastático de não pequenas células não escamosas (CPNPC não escamosas) em que a quimioterapia e imunoterapia tenham falhado
  • Resumo 10018: Estudo de fase 2 do cemiplimab em doentes com CEC avançado: seguimento mais longo
  • Resumo TPS10084: Estudo de fase 3, aleatorizado e duplamente cego de cemiplimab em contexto adjuvante versus placebo pós-cirurgia e radioterapia (RT) em doentes com CEC de alto risco
  • Resumo 10033: Qualidade de vida relacionada com a saúde em doentes com CEC avançado tratado com cemiplimab: análise exploratória pós-hoc de um estudo clínico de fase 2
  • Publicação on-line: Padrões de interrupções do tratamento com inibidor hedgehog e reiniciações entre doentes com carcinoma basocelular na prática clínica real
  • Publicação on-line: Avaliação do valor do cemiplimab para adultos com CEC avançado: uma análise custo-efetividade

Crescem as evidências no mieloma múltiplo e cancro da próstata metastizado resistente à castração

O mieloma múltiplo (MM) é a segunda doença hematológica mais comum, [ix] e, apesar dos tratamentos disponíveis, a patologia está associada a um peso significativo para o doente. Os resultados de um estudo da Fase 1b que avalia o Isatuximab em doentes de MM recentemente diagnosticados não elegíveis para transplante adicionam um conjunto crescente de dados positivos. O Isatuximab, um anticorpo monoclonal que se liga ao recetor CD38 nas células de MM, está aprovado para utilização nos EUA em combinação com pomalidomida e dexametasona para o tratamento de adultos que tenham recebido pelo menos duas terapêuticas anteriores, incluindo lenalidomida e um inibidor do proteasoma.

O cancro da próstata é uma doença muito heterogénea e um dos tipos mais comuns de cancro nos homens. O cancro da próstata metastizado resistente à castração (CPmRC) ocorre quando o tumor se espalha para além da próstata e progride apesar da terapêutica de privação de andrógeno. [x]Os resultados de uma análise post-hoc do estudo clínico CARD realçam que a sobrevivência global foi significativamente mais longa com Jevtana® (cabazitaxel) em comparação com abiraterona ou enzalutamida em doentes com CPmRC que tenham sido previamente tratados com docetaxel e com progressão da doença no prazo de 12 meses com um agente alvo do recetor de androgénio.

  • Resumo 5569: CARD: Análise da sobrevivência global (SG) de doentes com cancro da próstata metastizado resistente à castração (CPmRC) que recebe cabazitaxel vs abiraterona ou enzalutamida
  • Resumo 5559: Eficácia e segurança em doentes mais idosos com cancro da próstata metastizado resistente à castração (CPmRC) a receber cabazitaxel (CBZ) vs abiraterona (ABI) enzalutamida (ENZ) no estudo CARD
  • Resumo 5558: A progressão da dor no início do cabazitaxel no cancro da próstata metastizado resistente à castração (CPmRC) está associada a um mau prognóstico: uma análise post-hoc do PROSELICA

A investigação adicional na AsCO20 apoiada pela Sanofi inclui:

Isatuximab

Resumo 8508

Profundidade de Resposta ao Isatuximab, Carfilzomib, Lenalidomida e Dexametasona (Isa-KRd) no Tratamento de primeira linha do Mieloma Múltiplo de Alto Risco: Análise interina do Estudo GMMG-CONCEPT

Mozobil (plerixafor)

Publicação online

Padrões de Mobilização de Células Estaminais (PBSC) do Mundo Real em doentes com MM a efetuar transplante autólogo (ASCT)

Eloxatin (Oxaliplatina)

Resumo 3522

Dose Acumulada Longitudinal: Uma nova medida para avaliar múltiplas dimensões da adesão à quimioterapia ao longo do tempo

Resumo 7067

Eficiência do FOLFOX adjuvante vs 5FU para o tratamento do cancro do cólon na prática da oncologia comunitária usando uma abordagem de estudo híbrida

Taxotere (docetaxel)

Resumo 4551

Precisão de diagnóstico de estadiamento por TAC do cancro gástrico avançado após quimioterapia neoadjuvante.

Jevtana® (cabazitaxel)

Resumo 11556

Atividade do cabazitaxel em doentes com liposarcoma desdiferenciado metastizado ou localmente avançado inoperável. Organização Europeia para a Investigação e Tratamento do Cancro (EORTC) ensaio de fase 2 1202

Sobre Libtayo

O Libtayo está aprovado nos EUA, UE e outros países para adultos com CEC metastizado ou CEC localmente avançado que não são candidatos para cirurgia ou radioterapia curativas.

O extenso programa clínico para o Libtayo está focado em cancros difíceis de tratar. No cancro da pele, isto inclui um estudo de Fase 2 potencialmente para registo no carcinoma basocelular, um estudo de Fase 3 em contexto adjuvante no CEC, e CEC adicional e neoadjuvante. O Libtayo também está a ser investigado em estudos de fase 3 potencialmente de registo para o cancro do pulmão de não pequenas células e cancro do colo do útero, bem como em estudos que combinam o Libtayo com novas abordagens terapêuticas para tumores sólidos e cancros hematológicos. Estas potenciais utilizações estão sob investigação e a sua segurança e eficácia não foram avaliadas pelas autoridade regulamentares.

Informação adicional sobre o produtos disponível no site da EMA em :

https://www.ema.europa.eu/en/documents/product-information/libtayo-epar-product-information_pt.pdf

Sobre o Isatuximab

O Isatuximab é um anticorpo monoclonal que se liga a um epítopo específico no recetor CD38 que é expresso em várias células do mieloma múltiplo. Foi desenvolvido para atuar através de muitos mecanismos de ação, incluindo a morte programada de células tumorais (apoptose) e atividade imunomoduladora. A proteína CD38 é expressa de forma elevada e uniforme na superfície das células de mieloma múltiplo, tornando-o num alvo potencial para terapêuticas baseadas em anticorpos como o Isatuximab.

Isatuximab foi aprovado nos EUA em combinação com pomalidomida e dexametasona para o tratamento de adultos com mieloma múltiplo recidivante e refratário submetidos, pelo menos, a dois tratamentos anteriores, incluindo lenalidomida e um inibidor do proteassoma.

O Isatuximab também recebeu opinião positiva do CHMP em combinação com pomalidomida e dexametasona para o tratamento de adultos com mieloma múltiplo recidivante e refratário que receberam pelo menos duas terapêuticas anteriores, incluindo lenalidomida e um inibidor do proteassoma, e que demonstraram progressão da doença no último tratamento. É esperada nos próximos meses uma decisão final sobre o Pedido de Autorização de Introdução no Mercado para o Isatuximab na UE.

O Isatuximab continua a ser avaliado em múltiplos estudos clínicos de Fase 3 em combinação com os tratamentos padrão atuais de tratamento para o mieloma múltiplo. Também está a ser investigado para o tratamento de outros tumores hematológicos e tumores sólidos.

Para mais informação sobre os estudos clínicos, por favor consulte www.clinicaltrials.gov.

Sobre Jevtana

O Jevtana é um taxano semi-sintético. É um inibidor de microtúbulos que se liga à tubulina e promove a sua junção em microtúbulos, enquanto simultaneamente inibe a sua dissociação. Isto leva à estabilização dos microtúbulos, o que resulta na inibição das funções celulares mitóticas e interfásicas.

O Jevtana está indicado, em combinação com prednisona, para o tratamento de adultos com CPmRC previamente tratados com um regime de tratamento contendo docetaxel.

Informação adicional sobre o produtos disponível no site da EMA em : https://www.ema.europa.eu/en/documents/product-information/jevtana-epar-product-information_pt.pdf

[i] Introdução do Cancro da Mama metastático. Site de Susan G. Komen. https://ww5.komen.org/BreastCancer/MetastaticBreastCancerIntroduction.html. Acedido a 17 de abril de 2020.

[ii] Introdução do Cancro da Mama metastático. Site de Susan G. Komen. https://ww5.komen.org/BreastCancer/MetastaticBreastCancerIntroduction.html. Acedido a 17 de abril de 2020.

[iii] Cancro do Pulmão – Célula Não Pequena: Estatísticas. Cancer.net. https://www.cancer.net/cancer-types/lung-cancer-non-small-cell/statistics. Acedido a 17 de abril de 2020.

[iv] Stratigos, Alexander et al. Diagnóstico e tratamento do carcinoma celular espumoso invasor da pele: orientação interdisciplinar baseada no consenso europeu. Jornal Europeu do Cancro, Vol 51(14);14, 1989-2007.

[v] Califano JA, Lydiatt WM, Nehal KS, et al. Cutaneous esquamous carcinoma da cabeça e pescoço. In: Amin MB, Edge SB, Greene FL, et al, eds. AJCC Cancer Staging Manual. 8º ed. Springer; 2017:171-181.

[vi] Tratamento do cancro da pele (PDQ®). Site do Instituto Nacional do Cancro. https://www.cancer.gov/types/skin/hp/skin-treatment-pdq. Atualizado 1 de fevereiro de 2018. Acedido 17 de abril de 2020.

[vii] Jennings L, CD schmults. Gestão do carcinoma cutâneo cutâneo de alto risco. J Clin Aesthet Dermatol. 2010;3(4):39-48.

[viii] Brunner M, Veness MJ, Ch'ng S, Elliott M, Clark JR. Metástases distantes do carcinoma cutâneo das células escamosas - análise do estágio IV da AJCC. Pescoço de cabeça. 2013;35(1):72-75.

[ix] O Kazandjian. Múltipla epidemiologia mieloma e sobrevivência: uma malignidade única. Semin Oncol. 2016;43(6):676-681. doi:10.1053/j/seminoncol.2016.11.004.

[x] Saad F, Hotte S. Guidelines para a gestão do cancro da próstata resistente à castrar. Pode Urol Assoc J 2010;4(6):380-4. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2997826/pdf/cuaj-6-380.pdf.