Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade e o uso de cookies ACEITAR
Terça, 07 de Maio de 2024

Porto vai ter nova unidade veterinária com tecnologia inovadora aplicada em medicina regenerativa

O Porto vai ter nova unidade veterinária com tecnologia inovadora aplicada em medicina regenerativa, já a partir deste mês. Trata-se do CR2AN – Centro de Reabilitação e Regeneração Animal do Norte, que se assume como pioneiro em medicina regenerativa através da utilização de tecnologia inovadora, para reabilitação e recuperação funcional de cães e gatos.

O CR2AN, pertencente ao grupo Hospital VetArrabida, é um projeto inovador em Medicina Veterinária de Reabilitação Funcional que dispõe de uma variedade de tratamentos diferenciadores para doentes neurológicos de lesão grave do sistema nervoso central. Destacam-se a Câmara Hiperbárica e os tratamentos com células estaminais e plasma rico em plaquetas no controlo de doenças degenerativas do foro ortopédico, neurológico e oncológico.

A Câmara Hiperbárica, pioneira em Portugal, é um aparelho estanque que fornece ao paciente uma alta dose de oxigénio a uma pressão superior à da atmosfera, durante um período de tempo, adaptado a cada caso.

A tecnologia utilizada neste equipamento surgiu de forma a facilitar a adaptação à pressão do mergulho subaquático e tem sido também usada por desportistas e astronautas. Hoje em dia, quando aplicada à medicina regenerativa, consegue ajudar animais em doenças neurológicas, inflamações, cicatrização de feridas e regeneração dos tecidos, entre muitas outras.

Ângela Martins, Diretora Clínica do Centro de Reabilitação Animal da Arrábida, explica que ‘esta iniciativa profissional diferencia-se pela tecnologia de elevado valor, que permite fazer tratamentos com grande prevalência de sucesso de qualidade de vida. A medicina de reabilitação em conjunto com a medicina regenerativa dá solução pragmática a uma panóplia de complexos problemas vasculares, ortopédicos, neurológicos, desde alterações motoras a demência.’