Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade e o uso de cookies ACEITAR
Terça, 14 de Setembro de 2021

A Pfizer apoia iniciativas independentes com Bolsas de Investigação no valor de 500 mil de dólares na área da Osteoartrose

Está a decorrer o processo de Submissão de Propostas a um Programa Competitivo de Bolsas promovido pela Pfizer, denominado 4th Global Awards for Advancing Chronic Pain Research (ADVANCE), e que oferece um valor de financiamento até 150 mil dólares por bolsa atribuída. As submissões consideradas para financiamento deverão ser projetos de investigação inovadores que procurem promover a compreensão e gestão da dor crónica.

Os projetos deverão ser submetidos até dia 22 de setembro de 2021. Apenas serão aceites as propostas que sejam submetidas nos prazos indicados.

Posteriormente, os projetos serão analisados por um painel de revisores independente, que irá selecionar os projetos para financiamento. A Pfizer não tem influência sobre nenhum aspeto dos projetos e apenas solicita relatórios sobre os resultados e o impacto dos mesmos, para partilha pública.

Estas bolsas estão inseridas no programa Pfizer Global Medical Grants (GMG), criado para apoiar iniciativas independentes, com o objetivo de melhorar os resultados em saúde e responder a necessidades médicas não satisfeitas, alinhadas com a estratégia científica da Pfizer.

Mais informações em: ADVANCE Global Awards for Advancing Chronic Pain Research

Âmbito Geográfico: Global

Área de interesse: Dor - Osteoartrose

Área de interesse específica: Diversas áreas de investigação estão consideradas no Programa Competitivo de Bolsas ADVANCE, com foco principal na osteoartrose (OA) e dor crónica associada a OA, e com o intuito de aumentar o conhecimento sobre:

  • Avaliação das necessidades médicas não satisfeitas no tratamento da dor associada à OA, nomeadamente:
    • Avaliação risco-benefício e preferência do doente na escolha de medicação para a dor em doentes com co-morbilidades (por exemplo, doença cardiovascular ou história de abuso de substâncias);
    • Avaliação atual dos riscos associados à utilização de analgésicos a longo prazo;

o Tratamento da dor crónica em populações especiais (p. ex. pós-cirurgia, idosos).

  • Avaliação de abordagens multidisciplinares na gestão da OA (por exemplo, fisioterapia, terapia cognitiva comportamental) e sua combinação com o tratamento farmacológico.
  • Compreensão e previsão da resposta ao tratamento, estado da doença e curso da OA (trajetórias normais e rápidas).
  • Abordagens para melhorar a adesão à terapêutica ou regimes terapêuticos para a dor associada a OA.
  • Utilização de características do doente, tais como biomarcadores ou outras avaliações objetivas (por exemplo, testes sensoriais quantitativos, modalidades de imagiologia) na avaliação e gestão da OA para melhorar a compreensão do curso da doença.
  • Otimização da avaliação da função física:
    • Como as alterações da função física são avaliadas na prática clínica em doentes com OA, e como a avaliação da função física atual pode ser melhorada;
    • Como o estabelecimento de objetivos individuais pode contribuir para o resultado do tratamento (incluindo dor e função);
    • Qual o impacto da melhoria da função física na qualidade de vida do doente.

Data Limite para submissão: 22 de setembro de 2021