Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade e o uso de cookies ACEITAR
Terça, 18 de Maio de 2021

Ação de sensibilização para a diabetes é lançada nas escolas e chegará a mais de 11 mil crianças

Com o objetivo de assinalar os 100 anos da descoberta da Insulina, assim como sensibilizar e educar os mais novos para um problema que afeta cerca de 1,3 milhões de portugueses, a Fundação Ernesto Roma e a autora do livro infantil ‘Maria descobre a diabetes’, Catarina Mendanha, uniram-se para oferecer 500 exemplares a escolas do 1º ciclo de todo o país.

O livro que se espera que impacte mais de 11 mil crianças, e que conta com o apoio da editora Cultura, da EPIS - Associação Empresários pela Inclusão e da Sanofi, disponibiliza uma música através de um QRCode e ainda um vídeo pedagógico, onde uma psicóloga e a autora da obra explicam a diabetes às crianças.

Catarina Mendanha convive com a patologia desde os seis anos, enfrentando os medos, incertezas e dúvidas causadas por uma condição que a afetou desde tenra idade. Nesse sentido, a autora quis criar uma série de livros que retratassem a personagem Maria como uma menina como todas as outras, mas que tem um super poder, onde tem de ser o seu próprio pâncreas, e vai mostrando a forma como se sente no dia a dia, como é que ela resolve os problemas e como a diabetes está presente na sua vida.

De acordo com Catarina Mendanha, “é fundamental encontrarmos uma forma divertida e pedagógica de chegarmos não apenas às crianças com diabetes, mas também aos colegas de escola que os acompanham. Nesse sentido, a distribuição deste livro poderá ajudar a esclarecer dúvidas e até a diminuir algum estigma que possa existir”.

Para Luis Gardete Correia, Presidente da Fundação Ernesto Roma, “Esta ação de consciencialização encaixa perfeitamente na missão da Fundação, cujo principal objetivo é contribuir de forma prática para melhorar a qualidade de vida da pessoa com diabetes, através do desenvolvimento de programas na área da investigação, formação, assistência e educação terapêutica, enfatizando a importância da sua autonomia e plena integração”.

O livro lançado em dezembro de 2019 e que está disponível em livrarias físicas e online, e que tem também uma vertente solidária para a Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal - APDP, chega agora às escolas para sensibilizar e educar alunos e professores para uma doença que afeta cada vez mais crianças e jovens em Portugal.

Sobre o livro

Apadrinhado pelo ator Joaquim de Almeida, “Maria descobre a diabetes” é o primeiro livro de uma coleção infantil que retrata o dia a dia de uma menina de sete anos, nas suas aventuras e peripécias normais da idade, com a particularidade de ter diabetes tipo1.

Através de uma linguagem simples, a autora visa desmistificar a patologia para quem convive com a diabetes desde tenra idade, alertando para os cuidados a ter e possíveis sintomas.

Sobre a autora

Catarina Mendanha nasceu em 1987, em Lisboa, e aos 6 anos foi-lhe diagnosticada diabetes tipo 1. Iniciou este projeto em 2015, quando sofreu um descolamento bilateral da retina, tendo sido submetida a 11 intervenções cirúrgicas.

Desde 2017 que começou a interessar-se por temas sobre desenvolvimento pessoal, coaching e PNL, tendo já algumas certificações na área.

Sobre a Fundação Ernesto Roma

A Fundação Ernesto Roma, criada em 2005 pela Associação Protectora dos Diabéticos de Portugal (APDP), é uma Instituição sem fins lucrativos que nasce da forte vontade de implementar uma vertente exclusivamente dedicada à Educação da Pessoa com Diabetes e ao apoio da formação contínua de todos os profissionais que lidam com a doença. A Fundação Ernesto Roma é também uma homenagem ao criador da Diabetologia Social e fundador da APDP, a mais antiga de todas as associações de pessoas com diabetes do mundo (1926).