Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade e o uso de cookies ACEITAR
Segunda, 15 de Novembro de 2021

Sociedade Portuguesa de Endocrinologia e Diabetologia Pediátrica divulga vencedores do concurso ‘Diabetes com cor’

Já são conhecidos os três vencedores do concurso ‘Diabetes com cor’, lançado a 1 de junho pela Sociedade Portuguesa de Endocrinologia e Diabetologia Pediátrica (SPEDP), com o apoio da Sanofi. A iniciativa, que celebra os 100 anos da descoberta da insulina, destinava-se a todas as crianças com diabetes entre os 6 e os 10 anos de idade, residentes em Portugal.

Gonçalo Fernandes (1º), Leonor Campos (2º) e Diogo Lima(3º) são as crianças vencedores desta primeira edição do concurso que pretendeu sensibilizar para a diabetes mellitus tipo 1 (DM1) em idade pediátrica, estimulando as crianças com a patologia a desenharem o que para elas representa a diabetes e os seus desafios.

De acordo com Teresa Borges, Presidente da SPEDP, “o objetivo da sociedade passa por promover e fomentar a necessidade de prestação de cuidados de saúde e educação das crianças e adolescentes com doenças endócrinas e metabólicas de acordo com os mais elevados e recentes conhecimentos científicos. O concurso ‘Diabetes com cor’ foi uma forma de envolvermos a comunidade pediátrica e de chegarmos ao nosso público de uma forma descontraída e divertida, mas ao mesmo tempo pedagógica.”.

O concurso ‘Diabetes com cor’ quis assim assinalar de forma lúdica os 100 anos da descoberta da insulina, envolvendo pais, crianças e a comunidade científica num compromisso de alertar para esta patologia e mostrar que a vida com diabetes pode ser cheia de cor.

De acordo com o International Diabetes Federation (IDF), em 2021 existem 537 milhões de adultos (20-79 anos) com diabetes e 1.2 milhões de crianças e jovens (0-19 anos) com diabetes tipo 1. [1]

De acordo com os dados do Registo Nacional - DOCE, em Portugal a DM1, em 2015, atingia 3.327 crianças e jovens com idades entre 0-19 anos, o que corresponde a 0,16% da população dessa faixa etária.[2]

Sobre a SPEDP

A SPEDP é uma organização nacional que tem por objetivo promover e fomentar a necessidade de prestação de cuidados de saúde e educação das crianças e adolescentes com doenças endócrinas e metabólicas de acordo com os mais elevados e recentes conhecimentos científicos, assim como a investigação e divulgação nesta área.

A Endocrinologia e Diabetologia Pediátrica é uma subespecialidade médica dirigida a crianças e adolescentes com doenças do foro hormonal, isto é, que comprometem o normal funcionamento das glândulas, designadamente problemas de crescimento e desenvolvimento pubertário, diabetes, doenças tiroideias, hipofisárias e da suprarrenal.

Ao longo dos cerca de 30 anos de existência a SPEDP cresceu, em número de sócios e em âmbito de atuação, tendo atualmente cerca de 300 sócios ativos, que incluem endocrinologistas, pediatras, nutricionistas, enfermeiros e médicos de outras especialidades com interesse científico nesta área.

[1] https://diabetesatlas.org/

[2] https://www.dgs.pt/documentos-e-publicacoes/criancas-e-jovens-com-diabetes-mellitus-tipo-1-manual-de-formacao-para-apoio-aos-profissionais-de-saude-e-de-educacao-pdf.aspx