Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade e o uso de cookies ACEITAR
Segunda, 21 de Novembro de 2022

Biosensor para diagnóstico de esclerose múltipla e Biofertilizador à base de casca de batata vencem Amyris Innovation Awards

Já são conhecidos os projetos vencedores da 2ª edição do concurso de Inovação em Biotecnologia os prémios Amyris Innovation BIG Impact. O Amyris BIG Impact Innovation Award foi atribuído ao projeto BrainSense, que desenvolveu um biosensor para diagnóstico de esclerose múltipla. Rising Innovation Award foi entregue ao projeto HydroPLUS, que desenvolver um biofertilizador à base de casca de batata. O anúncio foi feito no “Biotechnology Innovation Forum: Think Big in Biotechnology”, um evento organizado pela Católica Porto Alumni Biotecnologia e pela Escola Superior de Biotecnologia (ESB) da Universidade Católica Portuguesa.

“Os dois projetos foram distinguidos por desenvolverem ideias deeptech no setor dos biosensores para diagnóstico da doença de esclerose múltipla e de biofertilizadores para o sector da agricultura,” salienta Hugo Choupina, da Católica Porto Alumni Biotecnologia, membro da organização do FIB 2022. Ana Leite Oliveira, investigadora da Escola Superior de Biotecnologia e membro da organização do evento, complementa “estamos na era da inovação biológica que terá necessariamente de passar por uma cada vez maior sensibilidade e responsabilidade naquilo que é sustentabilidade económica, tecnológica e principalmente societal”.

Na categoria "BIG Impact Innovation Award" o projeto vencedor foi o BrainSense, sob coordenação de Inês Mendes Pinto, investigadora do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto (i3S). O BrainSense pretende desenvolver a deteção multiplexada de um painel de biomarcadores moleculares relevantes para a doença de esclerose múltipla, a partir de uma coleta de sangue ou saliva através de uma picada de dedo. Esta análise subsequente por meio de um algoritmo de risco orientado por Inteligência Artificial, permitirá a sociedade e o serviço nacional de saúde reduzir os custos da deteção da doença.

"O Amyris BIG Impact Award representa a oportunidade de avançar com a tecnologia BrainSense para validação clínica para diagnóstico personalizado e monitorização de doenças neurodegenerativas, principalmente esclerose múltipla, que atualmente é alcançada através de métodos convencionais invasivos”, salienta Inês Mendes Pinto, investigadora do i3S. “Validação clínica significa transpor a tecnologia para o arquivo regulamentar in vitro do dispositivo de diagnóstico e uma maior disponibilidade do mercado,” conclui.

O "Rising Innovation Award" foi atribuído ao projeto HydroPLUS, com coordenação de Helena Moreira, investigadora da Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica Portuguesa. O objetivo é o de desenvolver um novo hidrogel biodegradável superabsorvente à base de casca de batata, um resíduo relevante da indústria alimentar que engloba microrganismos benéficos, nomeadamente bactérias promotoras de crescimento de plantas e fungos. O polímero à base de casca de batata servirá como um transportador eficaz e protetor para os microrganismos, prolongando a vida do produto, que por sua vez, irá favorecer a libertação lenta no solo. “O HydroPLUS atende assim às necessidades do novo paradigma da agricultura regenerativa e pretende melhorar o crescimento das culturas, preenchendo atualmente uma lacuna comercial no mercado de biofertilizantes,” refere Helena Moreira, coordenadora do projeto. "Este prémio ajudar-nos-á a desenvolver a nossa ideia e a colocá-la em prática. É também um reconhecimento de todo o trabalho que fizemos nos últimos anos focado nos sistemas agrícolas mais resilientes e sustentáveis. O HydroPLUS irá ajudar os agricultores a enfrentar os desafios do setor agrícola devido às mudanças climáticas, nomeadamente a escassez de água e o declínio da fertilidade do solo", acrescenta a investigadora.

Anabela Veiga, da Católica Porto Alumni Biotecnologia reconhece que “esta edição do Amyris Big Impact Award 2022, reforçou a importância de acelerarmos a bio-inovação através de uma abordagem disruptiva no setor biotecnológico”, acrescentando “estamos já a preparar a edição de 2023 que se realizará a 11 de novembro de 2023”.

O concurso “Amyris Innovation BIG Impact Award” já vai na 2ª edição e é promovido pela empresa Amyris Inc e a Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica. O grande objetivo deste concurso é o de premiar os melhores projetos na área da biotecnologia e a promoção da inovação em Biotecnologia como motor fundamental do desenvolvimento económico. Visa ainda promover novos processos, tecnologias ou serviços que sejam, simultaneamente, comercializáveis e sustentáveis, com um grande impacto positivo e mensurável na sociedade.

A 4ª edição do “FIB: Think Big in Biotechnology”, que se realizou a 12 de novembro, contou com mais de 200 participantes. A próxima edição já tem data marcada e irá realizar-se a 11 de novembro de 2023.