Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade e o uso de cookies ACEITAR
Terça, 02 de Fevereiro de 2021

Rastreio gratuito do Cancro de Mama alargado aos Distritos de Lisboa e de Setúbal

O Núcleo Regional do Sul da Liga Portuguesa Contra o Cancro (NRS-LPCC), em parceria com a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT), anuncia o alargamento do rastreio do Cancro de Mama aos Distritos de Lisboa e de Setúbal. Após profícuas negociações, o NRS-LPCC congratula-se do resultado alcançado que conferiu a equidade no acesso gratuito ao rastreio às mulheres portuguesas ao conseguir uma cobertura geográfica de 100% em território nacional, num período de dois anos.

Com este alargamento são mais 400 mil mulheres que poderão fazer o rastreio a partir de fevereiro de 2021, totalizando 600 mil mulheres a convidar no total dos concelhos da região sul, até 2023.

O protocolo entre as duas entidades, foi celebrado em 2020, e o arranque do rastreio vai ser assinalado no próximo dia 4 de fevereiro (Dia Mundial do Cancro), às 10h30, na Unidade Móvel da LPCC, junto ao Centro de Saúde de Alcochete, com a presença das entidades promotoras neste processo.

As mulheres dos distritos de Lisboa e de Setúbal vão, assim, poder contar com uma equipa técnica especializada na área do cancro da mama e com equipamentos digitais novos que potenciam uma melhor qualidade do diagnóstico.

De acordo com um inquérito lançado pelo NRS-LPCC, 97% das utentes do rastreio do cancro mama sentiram-se seguras com as medidas adotadas nas instalações e com a equipa técnica, durante a pandemia COVID-19. O NRS-LPCC garante que todos os procedimentos de segurança e higienização vão continuar a ser feitos para manter o bom funcionamento do rastreio durante o atual período de pandemia.

Sobre o rastreio

O rastreio é de base populacional, para mulheres entre os 50 e os 69 anos e realiza-se por convite, de 2 em 2 anos. No Núcleo Regional do Sul, teve início em 1997 e, gradualmente, foi sendo feito o seu alargamento. Até hoje, já se realizaram cerca de 5 milhões de mamografias a nível nacional e cerca de 1 milhão de mamografias na região Sul.