Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade e o uso de cookies ACEITAR

Terça, 15 de Dezembro de 2020

Resultados finais do estudo de Fase 3 HELP Study™ Open-label Extension sustentam TAKHZYRO® (lanadelumab) como opção de tratamento preventivo a longo prazo em doentes com angioedema hereditário (AEH)

- Dados do estudo demonstraram resultados a longo prazo consistentes com o perfil de segurança conhecido de TAKHZYRO, com reduções da taxa de crises e períodos livres de crises de AEH

- Os dados foram apresentados na Reunião Científica Anual Virtual do Colégio Americano de Alergia, Asma e Imunologia 2020

A Takeda anunciou os resultados finais do estudo de Fase 3 HELP (Hereditary Angioedema Long-term Prophylaxis) Study™ Open-label Extension (OLE), que demonstraram que TAKHZYRO® (lanadelumab) ajudou a prevenir e a reduzir a frequência de crises de angioedema hereditário (AEH) a longo prazo em doentes com idade igual ou superior a 12 anos que receberam tratamento durante uma média (desvio padrão) de 29,6 (8,2) meses.1 Os resultados foram consistentes com a segurança e eficácia de TAKHZYRO no ensaio pivotal. A taxa média (min, max) de crises de AEH foi reduzida em 87,4% (-100; 852,8) globalmente em relação à avaliação basal (N=212) e num endpoint exploratório pré-especificado quase 70% (68,9%) dos doentes tratados com TAKHZYRO 300 mg a cada 2 semanas registaram um período livre de crises de mais de 12 meses (n=209).1, 2 Os dados foram apresentados na Reunião Científica Anual Virtual do American College of Allergy, Asthma and Immunology (ACAAI) 2020 e serão também publicados na edição de novembro da revista do ACAAI, Annals of Allergy, Asthma & Immunology.


“A imprevisibilidade das crises de AEH tem um impacto significativo na vida dos doentes. O AEH é uma condição crónica, pelo que a redução da frequência e gravidade dos crises é um importante objetivo terapêutico para muitas pessoas que vivem com a doença", afirmou Marc A. Riedl, médico., investigador do Estudo HELP ESO e Professor de Medicina e Diretor Clínico no U.S. Hereditary Angioedema Association Center da Universidade da Califórnia, San Diego. "O Estudo HELP ORIGINAL, controlado com placebo, demonstrou a eficácia e segurança de TAKHZYRO ao longo de 26 semanas. Os resultados do estudo de extensão open label são encorajadores, pois mostraram que o tratamento continuado com TAKHZYRO pode ajudar a prevenir crises durante um período de tempo mais prolongado com o tratamento continuado.”


O estudo de Fase 3 HELP original foi realizado em 125 doentes com idade igual ou superior a 12 anos durante 26 semanas, o que representa o maior estudo de prevenção controlado e aleatorizado em AEH, com a maior duração de tratamento ativo até à data.3 O Estudo HELP OLE foi desenhado para avaliar a segurança a longo prazo (endpoint primário) e eficácia de TAKHZYRO durante um período de até 2,5 anos. Os resultados basearam-se em dados recolhidos entre maio de 2016 e outubro de 2019 e incluíram 109 doentes rollover que foram originalmente avaliados no Estudo HELP e 103 doentes elegíveis não-rollover que não participaram no estudo inicial, mas tinham sofrido pelo menos um crise de AEH em 12 semanas.1


“Nos últimos anos, foram feitos avanços científicos significativos na compreensão e tratamento do AEH. Em 2018, recebemos as primeiras aprovações regulamentares para TAKHZYRO, primeiro anticorpo monoclonal usado na terapêutica de prevenção no AEH, e constatámos a diferença que fez na prevenção de crises em muitos doentes em todo o mundo", declarou Donatello Crocetta, M.D., Global Medical Head, Rare Immunology and Metabolic Diseases, Chief Medical Office, Takeda. "Investigação contínua, como é o caso do Estudo HELP OLE, é fundamental para melhorar a nossa compreensão do potencial de TAKHZYRO como opção de tratamento preventivo a longo prazo em pessoas que vivem com AEH.”

Os resultados completos do Estudo HELP OLE mostraram que o perfil de segurança de TAKHZYRO foi consistente com os resultados originais do Estudo HELP, com eventos adversos emergentes relacionados com o tratamento (TEAEs) reportados em 54,7% dos doentes (n=116), sendo os mais comuns dor no local da injeção, infeção do trato respiratório, ou dor de cabeça.1 Além disso, os dados do Estudo HELP OLE mostraram que a eficácia de TAKHZYRO 300 mg administrado subcutaneamente a cada duas semanas em doentes rollover foi consistente com os resultados originais do Estudo HELP. A redução média (min, max) da taxa de crises em relação à avaliação basal observada na população do estudo (N=212) foi de 87,4% (-100; 852,8), com cerca de 93% dos doentes a reportar uma redução de pelo menos 70% da taxa de crises.1 Os endpoints adicionais, exploratórios, pré-especificados, avaliaram os períodos livres de crises.2


Os posters do Estudo HELP OLE apresentados, disponíveis através do website da reunião do ACAAI, são os seguintes:

  • Long-Term Efficacy and Safety of Lanadelumab: Final Results from the HELP Open-Label Extension Study (Poster #P150)

  • Attack-Free Status During Extended Treatment with Lanadelumab for Hereditary Angioedema: HELP OLE Study Final Results (Poster #P157)


Sobre o Estudo de Extensão Sem Ocultação HELP™

O estudo HELP (Hereditary Angioedema Long-term Prophylaxis)™ Open-label Extension (OLE) é uma avaliação da eficácia e segurança a longo prazo de TAKHZYRO em doentes com AEH com idade igual ou superior a 12 anos. Duzentos e doze doentes receberam tratamento com TAKHZYRO no início do Estudo OLE (109 doentes rollover avaliados originalmente no Estudo HELP e que prosseguiram para a fase OLE e 103 doentes elegíveis que não participaram no Estudo HELP mas tinham sofrido pelo menos um crise nas últimas 12 semanas). Os doentes rollover receberam uma dose de 300 mg de TAKHZYRO no Dia 0 e depois a cada duas semanas após o primeiro crise. Os doentes não-rollover foram tratados com uma dose de 300 mg a cada duas semanas, a começar no Dia 0. Cento e noventa e seis participantes completaram pelo menos 12 meses de tratamento e 173 participantes completaram pelo menos 30 meses de tratamento.1


Sobre o Angioedema Hereditário

O AEH é uma doença genética rara que resulta em crises recorrentes de edema - inchaço - em várias partes do corpo, incluindo o abdómen, face, pés, genitais, mãos e garganta. O inchaço pode ser debilitante e doloroso. 4-6 Crises que obstruem as vias respiratórias podem causar asfixia e são potencialmente fatais. 6,7 O AEH afeta cerca de 1 em 50.000 pessoas em todo o mundo. É muitas vezes sub-identificado, sub-diagnosticado e sub-tratado. 4, 6, 7


A Takeda no Angioedema Hereditário

O Angioedema Hereditário (AEH), como tantas outras doenças raras, é altamente complexo, e os doentes, as suas famílias e os profissionais de saúde passam muitas vezes por anos de tensão tentando compreender a doença, estabelecer um diagnóstico definitivo e ter acesso aos medicamentos necessários. Na Takeda, estamos empenhados em ser um parceiro para os doentes que servimos. Cada pessoa que vive com AEH é única e ao ouvir e reagir às suas necessidades, traduzimos os conhecimentos que obtemos em soluções inovadoras − desde o diagnóstico até à gestão contínua da doença. O avanço científico é crucial para a forma como atuamos e não temos receio de pressionar os limites do sucesso na nossa missão de acelerar o diagnóstico e desenvolver tratamentos transformadores e sustentáveis que farão a diferença na vida dos doentes com AEH, suas redes de suporte e profissionais médicos que deles cuidam.


Sobre TAKHZYRO®(Lanadelumab)

TAKHZYRO® (Lanadelumab) é um anticorpo monoclonal totalmente humano que se liga especificamente à calicreína plasmática, diminuindo a sua atividade, e está indicado como profilaxia para a prevenção de crises de AEH em doentes com idade igual ou superior a 12 anos. TAKHZYRO® está formulado para administração subcutânea (SC) e tem uma semi-vida de aproximadamente duas semanas. 8 TAKHZYRO® destina-se a auto-administração ou administração por um cuidador. O doente ou cuidador deve ser treinado por um profissional de saúde. 8

Comunicação Takeda

Alexandra Queiroz | 912 275 554 | alexandra.queiroz@takeda.com

C-APROM/PT/TAKH/0004

Dezembro, 2020

Referências

1 Banerji A, Hao J, Ming Y et al; Long-Term Efficacy and Safety of Lanadelumab: Final Results from the HELP Open-Label Extension Study. ACAAI 2020.

2 Riedl MA, Johnston DT, Lumry WR et al; Attack-Free Status During Extended Treatment with Lanadelumab for Hereditary Angioedema: HELP OLE Study Final Results. ACAAI 2020.

3 Banerji A, Riedl MA, Bernstein JA, et al; for the HELP Investigators. Effect of lanadelumab compared with placebo on prevention of hereditary angioedema attacks: a randomized clinical trial. JAMA. 2018;320(20):2108-2121.

4 Cicardi M, Bork K, Caballero T, et al; on behalf of HAWK (Hereditary Angioedema International Working Group). Evidence-based recommendations for the therapeutic management of angioedema owing to hereditary C1 inhibitor deficiency: consensus report of an International Working Group. Allergy. 2012; 67(2):147-157.

5 Zuraw BL. Hereditary angioedema. N Engl J Med. 2008;359(10):1027-1036.

6 Banerji A. The burden of illness in patients with hereditary angioedema. Ann Allergy Asthma Immunol. 2013;111(5):329-336.

7 Longhurst HJ, Bork K. Hereditary angioedema: causes, manifestations, and treatment. Br J Hosp Med. 2006;67(12):654-657.

8 TAKHZYRO® (lanadelumab) injection Prescribing Information.

IEC-RCM Takhzyro

Este medicamento está sujeito a monitorização adicional. Isto irá permitir a rápida identificação de nova informação de segurança. Pede-se aos profissionais de saúde que notifiquem quaisquer suspeitas de reações adversas.

NOME DO MEDICAMENTO: Takhzyro 300 mg solução injetável e Takhzyro 300 mg solução injetável em seringa pré-cheia

COMPOSIÇÃO QUALITATIVA E QUANTITATIVA: Uma unidade (frasco para injetáveis ou seringa pré-cheia) contém 300 mg de lanadelumab* na solução de 2 ml. (*Lanadelumab é produzido em células de hibridoma de murino (CHO) por tecnologia de ADN recombinante).

FORMA FARMACÊUTICA: Solução injetável e Solução injetável em seringa pré-cheia. Solução incolor a ligeiramente amarelada, com aparência transparente ou ligeiramente opalescente. A solução tem um pH aproximado de 6,0 e uma osmolidade aproximada de 300 mOsm/kg.

Indicações terapêuticas: Indicado para a prevenção de rotina de crises recidivantes de angioedema hereditário (AEH) em doentes com 12 anos de idade ou mais.

Posologia e modo de administração: Este medicamento deve ser iniciado sob a supervisão de um médico experiente no tratamento de doentes com angioedema hereditário.

Posologia: A dose inicial recomendada é de 300 mg de lanadelumab a cada 2 semanas. Em doentes que estejam estáveis sem crises, pode ser considerada uma redução de dose de 300 mg de lanadelumab a cada 4 semanas, especialmente em doentes com baixo peso. O Takhzyro não se destina a tratamento de crises agudas de AEH.

Doses falhadas: Se falhar uma dose, o doente deverá ser instruído a administrar a dose assim que possível garantindo, pelo menos, 10 dias entre as doses.

Populações especiais: Idosos: Não se prevê que a idade afete a exposição ao lanadelumab. Não é necessário ajuste posológico em doentes com idade > 65 anos.

Compromisso hepático: Não foram realizados quaisquer estudos em doentes com compromisso hepático. Não se prevê que o compromisso hepático afete a exposição ao lanadelumab. Não é necessário ajuste posológico inicial em doentes com compromisso hepático.

Compromisso renal: Não foram realizados quaisquer estudos em doentes com compromisso renal grave. Não se prevê que o compromisso renal afete a exposição ao lanadelumab no perfil de segurança. Não é necessário ajuste posológico inicial em doentes com compromisso renal.

População pediátrica: Não foram estabelecidas a segurança e eficácia em crianças com menos de 12 anos. Não existem dados disponíveis.

Modo de administração: Apenas para administração subcutânea. Cada unidade de Takhzyro destina-se apenas a uma utilização. A injeção deverá ser restrita aos locais de injeção recomendados: abdómen, ancas e zona exterior dos antebraços. É recomendada a rotação do local da injeção. Takhzyro apenas pode ser autoadministrado ou administrado por um cuidador após formação sobre a técnica de injeção SC dada por um profissional de cuidados de saúde.

Contraindicações: Hipersensibilidade à substância ativa ou a qualquer um dos excipientes.

AdvertÊncias e precauções especiais de utilização: Rastreabilidade: Para melhorar a rastreabilidade dos medicamentos biológicos, o nome e o número de lote do medicamento administrado devem ser registados de forma clara.

Reações de hipersensibilidade: Foram observadas reações de hipersensibilidade, nos casos graves, a administração deverá ser imediatamente interrompida e deverá iniciar-se o tratamento adequado.

Geral: Takhzyro não se destina a tratamento de crises agudas de AEH. Em caso de crise abrupta de AEH, deverá ser iniciado um tratamento individualizado, com medicação de resgate aprovada. Não existem dados clínicos disponíveis sobre a utilização em doentes com AEH com atividade normal de C1-INH.

Interferência com o teste de coagulação: Lanadelumab pode aumentar o tempo de tromboplastina parcial ativada (TTPa) devido a uma interação de lanadelumab com o ensaio de TTPa. Os reagentes usados na análise laboratorial de TTPa iniciam a coagulação intrínseca através da ativação da calicreína plasmática no sistema de contacto. A inibição da calicreína plasmática pelo lanadelumab pode aumentar o TTPa neste ensaio. Nenhum dos aumentos no TTPa em doentes tratados com Takhzyro esteve associado a acontecimentos adversos anormais de hemorragias. Não existem diferenças na Relação Internacional Normalizada (RIN) entre grupos de tratamento.

Teor de sódio: Este medicamento contém menos que 1 mmol (23 mg) de sódio por unidade, ou seja, é praticamente «isento de sódio».

Interacções medicamentosas e outras formas de interacção

Não foram realizados estudos dedicados de interação medicamentosa. Não são previstas interações farmacocinéticas com medicamentos administrados em simultâneo com lanadelumab. Conforme esperado, a utilização concomitante da medicação de resgate com inibidor da esterase C1 resulta num efeito aditivo na resposta lanadelumab-cHMWK, com base no mecanismo de ação do lanadelumab e do inibidor de esterase C1.

Efeitos indesejáveis

Resumo do perfil de segurança: A reação adversa observada com mais frequência (52,4%) foi reação no local da injeção (RLI), incluindo dor no local da injeção, eritema no local da injeção e hematoma no local da injeção. Destas RLI, 97% foram de intensidade média, 90% foram resolvidas num período de 1 dia após o início dos sintomas, com uma duração média de 6 minutos. Foram observadas reações de hipersensibilidade (prurido ligeiro e moderado, desconforto e formigueiro na língua) (1,2%). Ver RCM completo.

Resumo das reações adversas observadas no estudo HELP, com 84 participantes com AEH que receberam, pelo menos, uma dose de Takhzyro

Classes de sistemas de órgãos / Reação adversa medicamentosa - Frequência:

Doenças do sistema imunitário / Hipersensibilidade* - Frequente

Doenças do sistema nervoso / Tonturas - Frequente

Afeções dos tecidos cutâneos e subcutâneos / Erupção cutânea maculopapular - Frequente

Afeções musculosqueléticas e dos tecidos conjuntivos / Mialgia - Frequente

Perturbações gerais e alterações no local de administração / Reações no local de injeção** - Muito frequente

Exames complementares de diagnóstico / Alanina aminotransferase aumentada - Frequente e Aspartato aminotransferase aumentada – Frequente

(*Hipersensibilidade inclui: prurido, desconforto e formigueiro na língua.) e (**As reações no local da injeção incluem: dor, eritema, nódoas negras, desconforto, hematomas, hemorragia, prurido, inchaço, endurecimento, parestesia, reação, ardor, edema e erupção cutânea.)

População pediátrica: A segurança de Takhzyro foi avaliada num subgrupo de 23 participantes com idades entre os 12 e <18 anos. Os resultados da análise de subgrupo foram consistentes com os resultados gerais do estudo para todos os participantes.

Imunogenicidade: O tratamento com lanadelumab foi associado ao desenvolvimento de anticorpos antimedicamento (AAM) emergentes do tratamento em 11,9% (10/84) dos participantes. Todos os títulos de anticorpos estavam baixos. A resposta AAM foi transitória em 20% (2/10) dos participantes com AAM positivos. 2,4% (2/84) de participantes tratados com lanadelumab testaram positivo para anticorpos neutralizantes. O desenvolvimento de AAM incluindo anticorpos neutralizantes contra o Takhzyro não pareceu afetar adversamente os perfis de farmacocinética (FC) e farmacodinâmica (FD) ou resposta clínica.

NOTIFICAÇÃO DE SUSPEITAS DE RAMs: A notificação de suspeitas de reações adversas permite uma monitorização contínua da relação benefício-risco do medicamento. Pede-se aos profissionais de saúde que notifiquem quaisquer suspeitas de reações adversas:

Sítio da internet: http://www.infarmed.pt/web/infarmed/submissaoram (preferencialmente)

ou através dos seguintes contactos:

Direção de Gestão do Risco de Medicamentos

Parque da Saúde de Lisboa, Av. Brasil 53, 1749-004 Lisboa

Tel: +351 21 798 73 73, Linha do Medicamento: 800222444 (gratuita)

Email: farmacovigilancia@infarmed.pt.

CONDIÇÔES de conservação: Conservar ao abrigo da luz, no frigorífico (2°C a 8°C).

TITULAR DA AIM: Shire Pharmaceuticals Ireland Limited, Block 2 & 3 Miesian Plaza, 50-58 Baggot Street Lower, Dublin 2, Irlanda.

Julho 2020

Suspeitas de reações adversas devem ser notificadas para: AE.PRT@takeda.com

Medicamento sujeito a receita médica restrita - alínea a) do artigo 118º do D.L. 176/2006. Processo de avaliação prévia hospitalar ao abrigo do DL 97/2015 de 1 de junho, ainda não concluído.

Para mais informações deverá contactar o representante local do titular da AIM: Takeda - Farmacêuticos Portugal, Lda., Rua dos Malhões nº 5, Edif. Q56, D. Pedro I, Piso 3, 2770-071 Paço de Arcos, Portugal, NIPC: 502 801 204.