Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade e o uso de cookies ACEITAR
Terça, 22 de Novembro de 2022

As Tecnologias Digitais ao Serviço da Medicina Dentária

Neste que é o Dia Nacional da Cultura Científica é importante destacar os avanços e as inovações que têm sido feitas na medicina dentária com recurso à tecnologia. Dou como exemplo os aligners transparentes.

Para muitos pacientes, os aligners transparentes representam uma boa opção para alinhar os seus dentes. São discretos, eficientes e permitem manter uma correta higiene oral durante todo o tratamento. Os aligners representam um bom exemplo de um dispositivo médico moderno no setor da medicina dentária, que só foi possível através das inovações digitais feitas em modelos de tratamento e de planeamento virtuais, do estado da arte, dos processos de fabrico massificados de personalização e dos materiais que, em simultâneo, são rígidos, capazes de mover um dente, e flexíveis, para que o paciente consiga colocá-los e removê-los de forma simples.

Além das inovações que revolucionaram o processo e as técnicas de tratamentos ortodônticos, as tecnologias de comunicação digitais e as ferramentas como a “tele odontologia” estão a ser amplamente utilizadas para apoiar a ligação entre médicos e doentes, e têm um grande potencial para expandir o alcance dos profissionais de saúde, promoverem melhores resultados, além de serem mais flexíveis e convenientes para os pacientes.

Os aligners transparentes são um tratamento médico que move os dentes dos pacientes até ao osso – de acordo com o novo regulamento dos Dispositivos Médicos da União Europeia, os aligners transparentes são dispositivos médicos de Classe IIA. E, embora nas mãos de profissionais qualificados, a tele odontologia possa aumentar a monitorização do tratamento e melhorá-lo, não deve ser utilizada para alterar a prática clínica dentária de uma forma que minimize ou prive os pacientes dos benefícios do tratamento acompanhado e gerido por um profissional.

É essencial que profissionais qualificados estejam diretamente envolvidos durante todo o processo, desde a avaliação e o diagnóstico, no começo e ao longo da monitorização do tratamento, para alcançar os resultados desejados e proteger a saúde do paciente. Na Align Technology acreditamos que é fulcral a supervisão contínua de um profissional formado e certificado que conhece o paciente e que dispõe das melhores opções para cada paciente individualmente.

Recentemente, a Associação Espanhola de Ortodontistas (AESOR) publicou um documento técnico que detalha os 50 riscos associados a tratamentos ortodônticos remotos, desde o risco de um fraco desenvolvimento da mordida, a perda de um dente e o desenvolvimento ou agravamento de lesões pré-cancerosas. Incluem também o reaparecimento do problema original, dor, disfunções como estalidos, saltos articulares, subluxações condilares e limitação de abertura, desenvolvimento de novas cáries e progressão descontrolada de cáries anteriormente existentes não diagnosticadas, pulpite dentária e perda de vitalidade dentária, encurtamento das raízes dentárias (reabsorção radicular), problemas na cimentação de coroas e pônticos, gengivite, e mesmo o aparecimento de problemas cervicais, dores de cabeça, tonturas ou vertigens.1 Também a Ordem dos Médicos Dentistas (OMD) expressou a sua preocupação relativamente ao crescimento de serviços remotos de medicina dentária sem a intervenção de um dentista, incluindo os auto-tratamentos ortodônticos.3

A Align Technology foi a primeira companhia na Europa a obter a certificação CE Classe IIA para o sistema Invisalign e os retentores Vivera em 2021.

Esta classificação confirma que os desenvolvimentos destes produtos cumprem os requisitos gerais de segurança e desempenho das Diretivas 93/42/CEE e 2007/47/EC e, por conseguinte, colocam os aligners na mesma categoria dos aparelhos tradicionais, o que significa que a sua utilização deve ser sempre supervisionada por um profissional de saúde.

Todo o cuidado que temos e o contributo que damos para que as inovações tecnológicas ajudem pacientes e dentistas a tirar o melhor partido de todas as ferramentas faz-nos ter a certeza de que estamos a contribuir para melhorar a saúde oral de todos. É desta forma que a ciência e a tecnologia fazem a diferença, estando ao dispor de todos.

Referências:

1 AESOR (2022) https://aesor.org/noticia/53/riesgos-asociados-al-tratamiento-ortodoncico-a-distancia-de-maloclusiones-dentarias

2 OMD (2022) Perigos de teleconsultas de ortodontia e aquisição de tratamentos online (omd.pt)