Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade e o uso de cookies ACEITAR

Ginásios: queixas disparam 111% nos últimos 12 meses

Na semana que marca a reabertura dos ginásios, uma análise do Portal da Queixa identificou um crescimento de 111% do número de reclamações dirigidas a esta categoria, nos últimos 12 meses, face ao período homólogo. Os principais motivos de reclamação foram o cancelamento de contrato, cobranças indevidas e falta de apoio na resolução das queixas. As marcas Fitness Hut e Holmes Place destacaram-se pelo menor número de reclamações recebido e pelo maior Índice de Satisfação.

Foi um dos setores mais afetados com os longos encerramentos durante a pandemia de Covid-19, no entanto, nem de portas fechadas, os ginásios viram diminuir as reclamações. Entre o dia 1 abril 2020 e o dia 31 de março 2021, o Portal da Queixa recebeu 735 reclamações dirigidas aos ginásios, um aumento significativo (111%), comparativamente com o mesmo período homólogo, onde foram registaram 348 queixas (1 de abril de 2019 até 31 de março de 2020).

No período em análise, verificou-se que os principais motivos de reclamação partilhados pelos consumidores portugueses no Portal da Queixa, estão relacionados com pedidos de cancelamento de contrato (41%), cobranças indevidas (34%) e falta de apoio (13%).

Relativamente à variação do número de reclamações por mês, os três meses com o maior volume de queixas foram: junho e julho de 2020, com 98 e 107 queixas, respetivamente, e fevereiro de 2021, com 107 reclamações. Maio de 2020 foi o mês com menos reclamações registadas (21).

Segundo apurou a equipa do Portal da Queixa, no que se refere às marcas e a sua variação do número de reclamações recebido nos períodos em análise, verificou-se que, nos últimos 12 meses, o Fitness UP foi a entidade que registou o maior aumento face ao ano anterior (+381%) e o Solinca Light (+100%). O menor crescimento de reclamações pertence às marcas Fitness Hut (+35%) e o Holmes Place (+49%). De referir ainda que, estas últimas destacam-se pela performance e resolução junto dos clientes, obtendo os melhores Índice de Satisfação, ambas acima dos 70 pontos (em 100). Também nas Taxas de Solução e de Resposta às reclamações, as marcas Fitness Hut e Holmes Place lideram o ranking das melhores. O ginásio Fitness Hut regista uma Taxa de Resolução de 94,9% e uma Taxa de Resposta de 100%. O Holmes Place tem 85,2% na Taxa de Resolução e 100% na Taxa de Resposta.

Entidades com maior número de reclamações nos últimos 12 meses, a sua variação face ao período homólogo e respetivos índices de Satisfação.

Entidade

Índice de Satisfação

Variação do número de reclamações %

Reclamações
março 2020 – abril 2021

Reclamações
março 2019 – abril 2020

Fitness Hut

76.4

+35%

220

163

Holmes Place

74.1

+49%

58

39

Fitness UP

69.3

+381%

279

58

Solinca Light

58.3

+100%

48

24

Solinca Classic

53.3

+65%

100

59

Aumento de 82% face a 2020

Ao analisar as reclamações de 2021, desde o início do ano até 4 de abril, verificou-se que foram registadas 229 reclamações, um aumento de 82% face ao mesmo período de 2019, onde se registaram apenas 126 queixas. A análise permite verificar que 71% das reclamações apresentadas estão relacionadas com débitos indevidos de mensalidades (162).

Este ano, a liderar a tabela das marcas com maior número de reclamações está a marca Fitness UP com 181 reclamações, representando 79% do total das queixas dirigidas aos ginásios, entre 1 de janeiro e 4 de abril de 2021.

Marcas com maior número de reclamações em 2021 foram:

Entidade

Reclamações
2021 (%)

Reclamações
2021

Fitness UP

79%

181

Solinca Classic

8%

18

Fitness Hut

4%

10

Holmes Place

4%

8

Solinca Light

2%

4

(1 janeiro - 4 abril)

Na opinião de Sónia Lage Lourenço, COO do Portal da Queixa by Consumers Trust: “Tendo em conta o contexto pandémico que vivemos e pelas imposições do estado de emergência, muitos consumidores sentiram a necessidade de mudar os seus hábitos relativos à prática de desporto, não só por receio de contágio nas idas aos ginásios, mas principalmente pela redução no orçamento familiar, que os obrigou a fazer escolhas conscientes, direcionadas essencialmente para os bens de primeira necessidade. Com estes problemas acrescidos à falta de clientes, as cadeias de ginásios tiverem de se adaptar a uma nova realidade e tentar encontrar soluções que fossem favoráveis para ambos – clientes e empresa. Infelizmente, por parte de algumas cadeias de ginásios, nem sempre se reuniram as condições ideais para alcançar a satisfação, resultando num aumento muito acentuado de reclamações, que incidiram, na sua maioria, na tentativa de cobrança contínua da mensalidade, mesmo quando o serviço não estava a ser prestado, pela impossibilidade de acesso aos locais para a prática do desporto.”

NOTA: Todas as reclamações efetuadas no Portal da Queixa dirigidas à categoria Ginásios estão disponíveis para consulta pública em: www.portaldaqueixa.com

Sobre o Portal da Queixa:

O Portal da Queixa é uma plataforma global de comunicação entre consumidores e marcas que foi fundada em junho de 2009. Hoje, posiciona-se como a maior rede social de consumidores e marcas do país, sendo uma referência nacional em matéria de consumo e um Marketplace de reputação.

O Portal da Queixa é visitado por mais de 3 milhões de consumidores por mês e recebe uma média mensal de 15.000 reclamações. Tem mais de 500.000 utilizadores registados e 9.000 marcas estão presentes na plataforma.

A maioria das pessoas procura a plataforma para comunicar diretamente com outros consumidores, marcas e entidades públicas, bem como, para compararem marcas com base no Índice de Satisfação. Mais de 90% dos visitantes do Portal da Queixa, não efetua uma reclamação, pesquisa informações sobre uma marca ou serviço antes de procederem à decisão da compra final.

O crescimento exponencial e a consolidação do Portal da Queixa como um dos principais influenciadores nacionais em matéria de consumo, permitiu alcançar um novo posicionamento ao internacionalizar a sua plataforma para mercados com Espanha (Libro de Quejas) e África do Sul (Complaints Book), através do lançamento da sua marca global: Consumers Trust.